Política

Política

“Maus resultados [do PS-Arcos] têm de responsabilizar e penalizar a liderança”

No rescaldo das eleições autárquicas, os grupos de vereação com assento na Câmara Municipal de Arcos de Valdevez aproveitaram a derradeira reunião do mandato prestes a terminar para uma leitura política das votações conseguidas no passado dia 1 de outubro. José Albano Domingues carregou nas tintas para considerar os resultados autárquicos deste ato eleitoral “os piores de sempre do Partido Socialista” no concelho de Arcos de Valdevez.

A Freguesia no Poder Local Democrático

Diamantino Bártolo

Diamantino Bártolo

Escritor

A organização do poder político do Estado, compreende a existência e funcionamento do poder local democrático, através das autarquias locais que estão constitucionalmente consagradas na lei fundamental portuguesa, segundo a qual: «as autarquias locais são pessoas coletivas territoriais dotadas de órgãos representativos, que visam a prossecução dos interesses próprios das populações respetivas.» (CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA, 2004: Artº. 235º nº 2) que integram dois órgãos importantíssimos, escolhidos pelo povo: Assembleia de Freguesia, com funções legislativas e fiscalizadoras; Junta de Freguesia, que emana da Assembleia de Freguesia, com atribuições executivas, no que se refere às freguesias, estas como o primeiro patamar do Poder Local Democrático.

Eleições autárquicas… ou prova de reinserção social?

José Andrade

José Andrade

Reformado

Como convinha a um democrata civilizado, no passado domingo, cumpri o Dever de votar. E nem foi preciso esperar pelo apelo do Professor/Presidente, pessoa que muito estimo, e por quem nutro à cerca de três dezenas de anos pessoal consideração, para tomar tão responsável decisão.

PS perdeu maioria de Câmaras Municipais e próxima 'batalha' vai ser pela presidência da CIM

São duas as autarquias do Alto Minho que mudam de mãos, do Partido Socialista para o Partido Social Democrata: Ponte da Barca e Monção! No CDS continua a derrocada, perdendo vereadores nos Arcos e Monção, sendo Ponte de Lima uma excepção que continua com um eleitorado fiel. Em terras limianas, o grande derrotado foi Abel Baptista que veio 'corrido' de Monção, na altura uma opção do agora ex-deputado que poderá ter pesado no seu mais recente fracasso com um eleitorado conservador e pouco dado a mudanças de camisolas (entenda-se, por terras que não as suas).

PSD reforça maioria absoluta nos Arcos com mais dois vereadores

João Manuel Esteves engrossou a maioria absoluta à frente da Câmara de Arcos de Valdevez, ao conquistar seis dos sete lugares de vereação, mais dois do que no mandato anterior. A candidatura social-democrata subiu 14,67% na votação, passando de 53,14% para 67,81%. O domínio avassalador do PSD também se refletiu na Assembleia Municipal, com a reeleição de Francisco Araújo, que conseguiu 58,99% dos votos (mais 9,32% do que em 2013).

Um pinguim na cidade

António Fernandes

António Fernandes

Chefe de Serviços em Multinacional de Telecomunicações

O Pinguim, é uma ave, por muito estranho que possa parecer uma vez que tem uma acentuada adaptação à vida aquática marinha por ser aonde procura o alimento e se diverte.

Em terra arrasta-se até ao equilíbrio para andar em passo curto e ligeiro.

Usa um smoking clássico em tons escuros e a sua parte interior é branca.
Aprumado, o pinguim faz lembrar uma figura da nossa praça política em vários domínios: a adaptação; a pose; o andar.

A adaptação porque assim como o pinguim se adaptou à vida marinha como forma de vida, o pinguim local também se adaptou ao modelo governativo vigente como forma de vida.

Oito presidentes de junta eleitos pela primeira vez nos Arcos de Valdevez

As eleições autárquicas assinalaram, ao todo, a eleição, em estreia, de oito presidentes de junta, no concelho de Arcos de Valdevez. Mas este número até pode subir para nove, caso José de Brito Oliveira, à frente do movimento ‘Todos pela Miranda’, ganhe as eleições que vão ser repetidas nesta freguesia, depois de as listas concorrentes (PSD e o referido grupo de cidadãos) terem empatado no passado dia 1 de outubro.

OS ‘SACRIFICADOS’ ORDENADOS DOS ELEITOS

Manso Preto

Manso Preto

Não têm que ‘picar’ o ponto e, nalguns casos, têm direito a cartão de crédito e viatura.

Nos municípios com mais de 40 mil eleitores, como é o caso de Viana do Castelo, os vencimentos dos autarcas em exclusividade de funções são desconhecidos da maioria esmagadora das populações.

«Proximidade, cordialidade, honestidade e ética, características da minha relação ao longo de todos estes anos com o Município» - disse o presidente da 'Confraria da Foda' e Junta de Freguesia de Pias

 Agostinho Correia, actual presidente da Junta de Freguesia de Pias (concelho de Monção), foi eleito como independente. Cumpre o seu último mandato em virtude da limitação imposta pela lei, mas continuará a fazer parte do executivo da freguesia, pois incorpora a única lista candidata, também independente.

É o presidente da “Confraria da Foda” que, ao que julgamos saber, é a “menina dos seus olhos”. E com imenso sucesso! O Minho Digital foi entrevistá-lo.

 Citação

Arcos de Valdevez: oposição acusa PSD de “deselegância” e de usar “publicidade institucional proibida”

A sessão ordinária da Assembleia Municipal (AM) de Arcos de Valdevez realizada no passado dia 15 de setembro, em período de pré-campanha eleitoral, sentiu o combate autárquico do início ao fim. Uma moção apresentada pela CDU, com base numa deliberação da Comissão Nacional de Eleições (CNE), após denúncia da coligação, acabou refutada pela Mesa, e não foi colocada à votação.

Páginas

Subscreva RSS - Política